REDES DE CONHECIMENTOS
E PRÁTICAS EMANCIPATÓRIAS NO COTIDIANO ESCOLAR

Grupo de pesquisa coordenado por
INÊS BARBOSA DE OLIVEIRA

 

projetos de pesquisa

 
 

REDES DE SABERES, PRÁTICAS SOCIAIS
E CULTURAS NA FORMAÇÃO DAS SUBJETIVIDADES DEMOCRÁTICAS: FORMAÇÃO CIDADÃ COTIDIANA
E EMANCIPAÇÃO SOCIAL

[2009 - 2013]

Este projeto de pesquisa se inscreve no trabalho do grupo de pesquisa Redes de conhecimentos e práticas emancipatórias no cotidiano escolar, que desenvolve, desde 1999, projetos de investigação voltados para o cotidiano escolar, as práticas que nele se desenvolvem e o sentido emancipatório que elas possuem, ou não.
A pesquisa se desenvolverá com base nas “Teses sobre a democracia” combinados à Sociologia das Ausências (Santos, 2004), fundamentação teórica para a busca de indícios (Ginzburg, 1989) de práticas que contribuam para a formação de subjetividades democráticas, capazes de compreensão e ação horizontalizadas em relação aos diferentes saberes e culturas. O objetivo é investir no reconhecimento do caráter complexo, múltiplo e polifônico das práticas educativas que contribuem para a formação dessas subjetividades e produzir conhecimentos e formulações teóricas em torno da questão da democracia social, da formação das subjetividades democráticas e da contribuição que a escola já oferece e pode oferecer a esses processos e, com isso, contribuir para essa democratização. O projeto se desenvolverá em três dimensões, indissociáveis e complementares.
Do ponto de vista da reflexão teórica, prosseguiremos com o aprofundamento do debate epistemológico em torno da noção de cotidiano e de democracia e desenvolvimento de formulações conceituais em torno delas.
No que se refere à dimensão do amadurecimento metodológico, esta pesquisa se dedicará ao desenvolvimento da dimensão política que envolve a opção pela pesquisa nos/dos/com os cotidianos.
Com relação à dimensão empírica, o trabalho será desenvolvido com dados produzidos em trabalhos de campo anteriores e observação de escolas da rede pública no Brasil e na França, buscando elementos para a compreensão dos processos de formação de subjetividades democráticas. Entendemos que essas práticas visando à emancipação social podem constituir conhecimento sobre a contribuição possível da educação à democratização da sociedade.
Entendendo o cotidiano escolar como espaço de criação curricular (Oliveira, 2003), este projeto pretende investigar práticas pedagógicas desenvolvidas em escolas da rede pública de ensino buscando nelas indícios (Ginzburg, 1989) de contribuição à ampliação da democracia social.
O projeto se desenvolverá em 3 dimensões, indissociáveis e complementares. Do ponto de vista da reflexão teórica, prosseguiremos com o aprofundamento do debate epistemológico em torno da noção de cotidiano e desenvolvimento de formulações conceituais em torno dela. No que se refere à dimensão do amadurecimento metodológico, os progressos já efetivados nesse campo metodológico são importantes e esta pesquisa se dedicará ao desenvolvimento de um elemento pontual que envolve a opção por esse tipo de metodologia: a sua dimensão política. Com relação à dimensão empírica da pesquisa, o trabalho será desenvolvido com dados produzidos em trabalhos de campo anteriores e com observação de práticas desenvolvidas em escolas da rede pública que possam trazer novos elementos efetivos de contribuição para a compreensão dos processos de formação de subjetividades democráticas, ou seja, para a “ecologização” das relações entre diferentes saberes e culturas.
Entendemos que essas práticas visando à emancipação social podem constituir conhecimento sobre a contribuição possível da educação à democratização da sociedade e, por isso, merecem observação, registro e divulgação de modo a ampliarem seu potencial democratizante.

 

CURRÍCULOS PRATICADOS, EMANCIPAÇÃO SOCIAL
E DEMOCRACIA NO COTIDIANO DA ESCOLA:
DO INVISÍVEL AO POSSÍVEL

[2006 - 2009]

O presente projeto de pesquisa se inscreve no trabalho do grupo de pesquisa Redes de conhecimentos e práticas emancipatórias no cotidiano escolar, que vem desenvolvendo, desde 1999 projetos de investigação voltados para o cotidiano escolar, as práticas que neles se desenvolvem e o sentido emancipatório que elas possuem ou não. Esse projeto dá continuidade ao trabalho do grupo na medida em que também é centrado nas possibilidades de compreensão ampliada da complexidade das realidades escolares e do potencial emancipatório de algumas práticas, buscando investir na contribuição possível da escola à democratização da sociedade. Está centrado sobre as possibilidades de entendimento de dimensões até aqui invisíveis das realidades escolares e do potencial emancipatório que algumas práticas possuem, tudo isso com vistas ao desvendamento de possibilidades inscritas na realidade e ainda não realizadas de contribuição da escola à democratização da sociedade. Com base na Sociologia das Ausências e na Sociologia das Emergências de Boaventura de Sousa Santos (2004), tanto do ponto de vista teórico-epistemológico quanto teórico-metodológico este Projeto desenvolver-se-á em três frentes de reflexão e produção de conhecimentos. Em primeiro lugar, daremos continuidade aos estudos voltados para o aprofundamento da compreensão e o desenvolvimento de formulações conceituais em torno da noção de cotidiano e de seu potencial teórico-epistemológico-metodológico. Em segundo lugar, continuaremos o desenvolvimento metodológico de procedimentos e formulações teórico-metodológicas da pesquisa nos/dos/com os cotidianos. Finalmente, o material acumulado (relatos, imagens e entrevistas) nas pesquisas anteriores, que testemunham a multiplicidade de "currículos praticados" (Oliveira, 2003) nos diferentes espaços escolares pelos diferentes sujeitos, será estudado como um conjunto que respeita uma lógica, diferente das estruturas nas quais se inscreve, mas que pode, talvez, ser captada e formulada como uma lógica das práticas (Certeau, 1994).
A hipótese de que, mesmo sendo específicas e singulares, visto que se desenvolvem em contextos e circunstâncias e por sujeitos diferentes, as práticas pedagógicas visando à emancipação social e que podem constituir conhecimento sobre a contribuição possível da educação formal à democratização da sociedade possuem aspectos e formas de desenvolvimento comuns que, uma vez devidamente percebidos e compreendidos, podem levar ao reconhecimento de elementos concretos que favorecem a democratização da escola e da sociedade e portanto, os processos reais de emancipação social. O trabalho sobre essa hipótese e a tentativa de confirmá-la através do trabalho sobre os resultados das pesquisas anteriores, bem como a possibilidade de multiplicação de práticas emancipatórias que se abre a partir dessa compreensão das práticas em sua lógica, são os principais objetivos deste projeto.
Associam-se, também, aos objetivos já declarados de aprofundamento teórico e desenvolvimento metodológico no campo dos estudos no/do/com o cotidiano.
As atividades a serem realizadas ao longo da pesquisa visam a atingir os objetivos em suas três dimensões elencadas. A continuidade de um trabalho que vem sendo realizado há quase oito anos, tanto no que se refere ao desenvolvimento teórico-epistemológico quanto da metodologia de pesquisa, aliada ao uso de material produzido em pesquisas diferentes, mas a partir dos mesmos referenciais, permite prever que os objetivos poderão ser atingidos e que os resultados esperados serão obtidos.